Vendas da Fiat Chrysler aumentam 10% na América Latina

Por Marli Olmos | Valor

SÃO PAULO  –  A América Latina tem sido uma das principais bases de sustentação da operação da Fiat Chrysler. Em 2018, as vendas do grupo na região cresceram 10%, com 566 mil veículos. Desse total, 434 mil foram vendidos no Brasil, numa expansão de 14% na comparação com 2017.

O presidente do grupo na região, Antonio Filosa, diz que América Latina continuará a ser, junto com Europa, uma base de atuação importante para a marca Fiat. Já a Chrysler adotará estratégia mais global, com produção em diferentes partes do mundo.

A região tem garantido rentabilidade à companhia. Nem 2018, a empresa obteve na América Latina uma margem Ebitda (lucros antes de juros e impostos) de 359 milhões de euros, o que representou crescimento de 138% em relação à 2017.

Filosa destacou uma declaração do presidente mundial do grupo, Mike Manley, na divulgação dos resultados globais da companhia ontem. A uma pergunta de um analista sobre a atividade latino-americana, Manley disse estar “otimista em relação ao governo brasileiro”, mas que a situação está difícil na Argentina.

Filosa disse estar confiante em relação aos planos do ministro da Economia, Paulo Guedes, para elevar a competitividade da indústria. “Fazemos aqui exatamente os mesmos produtos que em outras regiões e com os mesmos materiais e tecnologia. Se conseguirmos ser mais competitivos com melhoras na infraestrutura e na engenharia tributária conseguiremos exportar para vários lugares do mundo”, destaca.